Quatro coisas sobre a semana que passou

1) Este restaurante delicinha chamado Minna Tomei, que serve pratos de cinco países asiáticos: Tailândia, Japão, Coreia, Vietnã e Índia. De entrada pedimos um guioza de shitake com molho cremoso (Japão) que estava ótimo; e de prato principal eu pedi um tom yam (Tailândia) superbom, e o Alex pediu um bibimbap (Coreia) todo errado, mas que dava pra comer. Desde a outra vez que vim para Israel, achei os restaurantes daqui fraquinhos, fraquinhos, mas gostei deste:

(Adendo: alguns funcionários da cozinha são orientais – quando chegamos ao estacionamento que fica nos fundos do restaurante, tinha um grupinho fazendo uma pausa para o cigarro. Acho que foram os primeiros orientais que vejo desde que cheguei, há duas semanas)

Foto: Sarah Lee/Gaveta de Esquilo

2) Esta placa de sinalização que parece indicar que os únicos meios de transporte permitidos são bicicletas ou cavalos – mas na verdade ela indica que não é permitido andar de bicicleta ou cavalo no deck:

Foto: Sarah Lee/Gaveta de Esquilo

3) Estas águas-vivas mortas jogadas aos montes em uma praia em Akko. Aparentemente, desde os anos 1970 esse tipo específico de água-viva passa anualmente pela costa israelense, mais ou menos no início do verão:

(Aqui nesta página tem mais informações, além de fotos e um vídeo; é meio assustador)

Foto: Sarah Lee/Gaveta de Esquilo

4) Este início de noite em Akko:

Foto: Sarah Lee/Gaveta de Esquilo

Três coisas sobre a semana que passou

1) Estes dois corvos, pousados no ar condicionado de um prédio vizinho, que eu demorei três dias para perceber que não são de verdade:

2) Esta baby melancia de uma plantação que fica aqui do lado e que parece que é comunitária. Fomos passear por lá e não tem portão, guarita, nada – a única pessoa que encontramos foi uma senhora de uns 200 anos sentada debaixo de uma tenda:

3) Esta pipoqueira na sala de espera de um escape room em que a missão é fugir de uma penitenciária para presos políticos na Coreia do Norte: