How to Care for Your Introvert

“Knock knock. Who’s there? Introvert. Introvert who? I’m so sorry to have bothered you, goodbye.”

If you grow tired of your introvert, no need to palm it off on a friend: simply disconnect the router or suggest that it might have offended someone slighty and it will quietly run away in the night.

+ Mais conteúdo da tag “introversão”

Diferentona extrovertida

“Só eu que não me identifiquei com nenhum post da sua Semana da Introversão?”

só você
diferentona
especial
livro aberto
tieta do agreste
segurou e amarrou o tchan
aloka
the one who let the dogs out
vipona
sasha fierce
brinca de girar a garrafa
vamu pular, vamu pular, vamu pular, vamu pular
malandra
sócia-fundadora do twerk
bate ponto na balada

(“There is no such thing as a pure extrovert or a pure introvert. Such a man would be in the lunatic asylum.” – Carl Jung)

Você é quietinha, né?

Faz parte do cotidiano de todo introvertido – e isso pode ser bem irritante – ter que lidar com comentários do tipo “você é quietinha, né?”.

“- Ainn, Sarah, mas o que é que tem?”

O que é que tem é que é chato, tosco e desnecessário. Sério, que diálogo você espera desenvolver quando eu te conheço há cinco segundos (sempre gente que conheço há cinco segundos) e essa é a sua frase de abertura? A frase que eu já ouvi zilhões de vezes. A frase que vai seguir, inevitavelmente, o mesmíssimo roteiro: a pessoa fala; eu respondo; a pessoa fala que eu sou grossa.

– Você é quietinha, né?
– Sim. Sou.
– Ainn, que nervosinha.

Ou

– Você é quietinha, né?
– Não. Não sou.
– Ainn, que nervosinha.

Apenas parem.

E sabe? Eu demorei pra entender por que essas coisas me incomodavam. Achava que era a repetição, ou a prepotência de um desconhecido fazendo a íntima. Mas não é (só isso); o problema, mesmo, é que muitas vezes sinto um tom condescendente acompanhando essas brilhantes observações. “Você não fala muito, né?” + cabeça que vai pro ladinho + sobrancelhas caídas + meio sorriso de simpatia. Como se a minha quietude fosse motivo de pena. “Coitadinha, tão quietinha.”

O ser humano pega uma característica minha que ele enxerga como um defeito; reveste-a de dó passiva-agressiva; esfrega na minha cara; e ainda acha que eu tenho que fazer festinha?

Aqui pra você, ó:

judging-you-gif-1 judging-you-gif-2 judging-you-gif-3

(Gifs: reprodução)

+ Mais posts da Semana da Introversão