O perigoso lado ruim de ser perfeccionista

Quando você lê uma reportagem gigantesca sobre uma tendência potencialmente autodestrutiva e vai ticando parágrafo por parágrafo – hm, eu faço isso… E penso assim… E tive isso na infância… E falo essas coisas pras pessoas… E passei por essa fase na faculdade… E faço isso todas as noites… Hmmmmm, devo procurar um psicólogo?

Gif: reprodução

Hoje em dia todo mundo sabe que durante uma entrevista de emprego, quando o entrevistador te pergunta qual a sua maior qualidade e qual o seu maior defeito, você não pode mais responder “ser perfeccionista” e “ser perfeccionista”, porque essa resposta já foi tão repetidamente batida que virou piada. O que é uma bosta, porque no contexto do trabalho, eu realmente achava que ser perfeccionista era a minha maior qualidade e o meu maior defeito. Mas o texto “O perigoso lado ruim de ser perfeccionista”, no site da BBC Brasil, me ajudou a entender que o “ser perfeccionista/qualidade” na verdade não é perfeccionismo, e que o “ser perfeccionista/defeito” é um troço tão sério que eu nem deveria estar falando disso para o meu potencial contratante hahaha #risadanervosa

O resumo da parada toda é que: “Trabalhar duro, ser comprometido, diligente e assim por diante, são todas características desejáveis. Perfeccionismo não é adotar padrões altos. É estabelecer padrões irreais. Não é um comportamento. É a maneira como você pensa sobre si mesmo”. Tralalá, “para os perfeccionistas, a performance está ligada ao senso de identidade. Quando não conseguem alcançar algo, eles não se sentem decepcionados em relação ao que fizeram, mas, sim, vergonha de si mesmos. Ironicamente, o perfeccionismo se torna uma tática de defesa para manter a vergonha à distância: se você é perfeito, nunca falha; e se nunca falha, não há por que se envergonhar. Como resultado, a busca pela perfeição se torna um ciclo vicioso. E, uma vez que é impossível ser perfeito, todo esforço acaba sendo em vão”.

(Pausa para linkar um post sobre perfeccionismo que eu tentei escrever há dois anos, mas que não consegui elaborar bem o suficiente, então acabei desistindo e publicando umas besteiras nada a ver)

Gif: reprodução

Enfim, eu recomendo que vocês leiam o texto inteiro no site da BBC, porque ele é muito bom; clique aqui.

O que é ser perfeccionista

Me deu vontade de escrever um texto sobre o que é ser perfeccionista.

Daí passei horas desenvolvendo o rascunho, digitando, apagando, digitando, apagando, criando um novo abre, depois outro abre, outro abre, outro abre, mas nenhum estava bom o suficiente.

Daí comecei a pensar em exemplos próprios que eu poderia compartilhar, de coisas que aconteceram na minha infância, ou uma situação de trabalho, ou um comentário feito por alguém próximo, mas não me senti confortável com a ideia de me expor.

Daí abri o Google pra pesquisar sobre o assunto e poder, assim, redigir o melhor post sobre o perfeccionismo já visto na internet, e encontrei este artigo que é bom, mas aff, tá cheio de erros de português e tem vários trechos com tradução capenga.

Daí me questionei se eu deveria mesmo investir na redação ou fazer outra seleção de fotos de maquiagem, pois a audiência do blog tem sido instável e isso é provavelmente porque eu falhei em estabelecer uma linha editorial e as pessoas não estão gostando do conteúdo.

Daí decidi fazer essa lista relatando o processo frustrado de redigir o melhor post sobre o perfeccionismo já visto na internet, e gastei mais um tempo pra me convencer de que tudo bem os parágrafos não terem o mesmo número de linhas; ninguém vai reparar que você é torta, Sarah.

E isso é o que temos pra hoje.