טודו בום / tudo bom – e o retorno do Gaveta de Esquilo

O Gaveta de Esquilo nasceu em 2015 para ser um lugar onde eu pudesse armazenar coisinhas aleatórias sobre a minha estadia de três meses e meio em Israel. Depois desse período, voltei ao Brasil e ele passou a armazenar coisinhas aleatórias sobre assuntos aleatórios. 2017 marca o retorno do Gaveta de Esquilo original, made in Israel – só que a partir de agora, os posts estarão escritos na categoria Cotidiano, em vez de Viagem. Sim, vim para cá de vez!

Para comemorar, fiquem com o videoclipe dessa música que está bombando por aqui e que achei apropriadíssima para um blog que é a verdadeira mistura do Brasil com o Egito Israel: “Tudo Bom”, da dupla Static & Ben El Tavori.

+ Clicando na tag “Israel” dá para ler sobre a minha vinda em 2015

+ Alguns dos meus posts favoritos: “Brincadeira de criança” e “Israel está me deixando careca

Vi no Facebook – How a grumpy 75-year-old learned Instagram to show his love to his three grandchildren

Gente, fiquei emocionadíssima vendo esse vídeo. Por motivos diversos, tenho refletido todos os dias sobre a questão do gap entre gerações e a complexidade da relação entre filhos e pais (filhos→pais, nessa ordem mesmo, e não pais→filhos) (Por que pais→filhos é tão discutido e filhos→pais não?). A mensagem foi bem on point. E o fato de que o autor é um coreano que cresceu no Brasil só aumenta a sensação de “nossa, super me identifiquei com isso”. E daí ainda tem o detalhe de que agora cada pessoa da família dele mora em um país e rolam umas traduções durante as conversas pelo Facebook Messenger (eu sei que pra muita gente esse slide não significou nada, mas pra mim significou. Ver: guilt). Ou seja, estou aqui chorando litros.

Esse é o vídeo (não consegui definir o tamanho, então ele provavelmente vai aparecer gigante. Talvez seja melhor ver direto no perfil do moço:

a
E este é texto de agradecimento que o autor escreveu em seu Facebook um dia depois de publicar o vídeo. Achei fofo:

(Obrigada Walter Rodrigues por compartilhar!)